Já passou tanto tempo desde o último post aqui no blog que as suspeita de abandono deste projecto começam a ganhar raiz. E vem então esta entrada para dissipar tais ideias. A escrita é ininterrupta, e ainda que prossiga a um ritmo demasiadamente lento – tão lento que a um olhar descuidado poderá parecer parado – ela continua. Não há desinteresse nem esquecimentos. O que não tem havido é tempo.

Curiosamente a experiência das últimas semanas tem-me levado a olhar para uma fase da vida do Avô e a tentar perceber aquilo pelo que passou. Um curto parágrafo da sua carta tem irrompido vez após vez pelo meio de tantas outras coisas que me enchem a cabeça, sobretudo nas horas pequenas da noite quando não se pode escolher entre trabalhar e dormir:

”Para vencer esta grave situação, tive de trabalhar brutalmente noite e dia…”

A vida do Avô não foi fácil. Foram muitas as dificuldades e dura a luta para enfrentar (e vencer) as que foram aparecendo. Nos tempo que correm, estas palavras do Avô são uma inspiração, um desafio a trabalhar, se preciso noite e dia, com a brutal tenacidade de quem não se deixa vencer pelas circunstâncias.

E quanto ao livro, meus amigos – e esta é certamente a última promessa que aqui deixo – vai ser terminado até ao fim do ano.

Anúncios