Por esta altura, os seguidores mais dedicados do blog – que podem ser poucos, mas bons – já perceberam que uma promessa foi quebrada. Num post anterior assegurei que a primeira versão do livro estaria terminada até ao final de Março, mas agora que Março passou e Abril não apresenta sinais de abrandar, o livro permanece inacabado. Pela falha apenas posso apresentar uma justificação (algo) medíocre.

Não querendo prosseguir pelo caminho da desresponsabilização – porque uma promessa quebrada é sempre uma promessa quebrada – avanço com a mais elementar justificação: falta de tempo. O aumento do volume de trabalho e a agitação caseira tem reclamado quase todas as horas do dia. O pouco que sobra tem sido dedicado a pequenos projectos que entretanto (e inesperadamente) apareceram. Todos juntos, ou à vez, estes factores contribuíram generosamente para a quebra da promessa.

Mas nem tudo são notícias menos boas. A quebra de promessa não significa que nada se fez durante este período. Pouco se escreveu, mas muito foi feito. Parte do trabalho feito foi já aqui referida anteriormente.

A esse, acresce a procura de informação para fazer crescer a árvore genealógica do Avô Mateus (algo que a seu tempo será aqui apresentado) e outros tantos detalhes sobre o percurso do Avô (alguns adicionados recentemente à Viagem pelo Tempo). Nuns e outros, a ajuda da família e amigos tem sido valiosa.

Entretanto tenho conseguido aproveitar o tempo que já não sobra para ler um livro cheio de bons conselhos para quem quer escrever sobre histórias de família: Tracing Your Family History de Anthony Adolph. Nem a propósito!

Resta finalizar sem mais promessas, apenas com a manifestação de intenção de terminar a tal versão “rascunho” dentro de pouco tempo.

Anúncios