Continua intenso o esforço de encontrar tempo para terminar o primeiro rascunho do livro. Entretanto percebi que seria necessário um capítulo adicional de fecho, não mais na forma de memórias ou histórias, mas de outra natureza.

Já tenho dedicado muito esforço mental a este capítulo e, embora já tenha uma ideia clara sobre o conteúdo, ainda não escrevi uma linha. Como tudo ainda está em aberto nesta matéria, podem sempre surgir novas ideias ou novos conteúdos. E foi o que aconteceu estes dias.

Recebi por correio uma encomenda há muito esperada – nada mais nada menos que os cadernos de notas de Leonardo Da Vinci em 3 volumes profusamente ilustrados. Algo chamou a minha atenção assim que folheei o primeiro livro. No meio de outras tantas reflexões estavam as seguintes linhas:

“(…) nada é mais passageiro que os anos, mas aquele que semeia virtude colhe honra.”

Pareciam mesmo estar ali é espera de serem encontradas. Percebi imediatamente que as teria de citar no livro porque:  (1) ecoam as palavras do livro de Provérbios (largamente citado ao longo de todo o trabalho) e são uma curiosa transposição da advertência “quem semeia ventos, colhe tempestades” do profeta Oseias; (2) adaptam-se perfeitamente ao Avô Mateus.

Afinal de contas parece que as primeiras linhas do último capítulo acabaram de ser escritas.

Anúncios